Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

Guarda avança com projeto de Salvaguarda do Património Imaterial

Cultura
11/11/2019
leitura do texto

Um dos projetos mais importantes de salvaguarda e afirmação identitária do património cultural imaterial da Guarda, das pessoas e dos seus saberes, 'Carta da Paisagem da Guarda', vai avançar já em dezembro, coordenado pelo antropólogo, Paulo Lima, responsável pelas candidaturas do Fado e do Cante Alentejano, entre outras, a Património da Humanidade da UNESCO. Trata-se de uma aposta estratégica local para a valorização do património, uma linha importante para a candidatura a Capital Europeia da Cultura - Guarda 2027.

Até janeiro de 2021, o Municipio da Guarda terá concluído o processo de instrução dos dossiês com os pedidos de inscrição do FABRICO DO COBERTOR DE PAPA (e património natural e cultural associado) no Inventário Nacional do Património Cultural e com o pedido à UNESCO na Lista do Património Cultural Imaterial com necessidade de salvaguarda urgente.

O desenvolvimento deste importante projeto – que robustece a estratégia da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 - tem três fases de trabalho, a iniciar em dezembro de 2019 e a concluir em janeiro de 2021. Na primeira fase, até dezembro de 2020, será feita a produção de um inventário/catálogo dos bens culturais imaterial presentes no Município da Guarda, suportado por consulta de bibliografia, arquivo e trabalho de terreno. Serão construídos registos das manifestações que poderão ser arquivados em base de dados. Os bens culturais imateriais a inventariar serão todos aqueles que as comunidades reconhecem, sejam passíveis de inscrição no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial ou não, de acordo com a normas legais vigentes. Far-se-á um draft para futuros pedidos de inscrição no InNacPCI (http://www.matrizpci.dgpc.pt).

Na segunda fase do processo, entre março e agosto de 2020, será instruído o dossiê com o pedido de inscrição do Fabrico do Coberto de Papa neste inventário nacional, sem prejuízo de que outros recursos patrimoniais se virem a posicionar.

A terceira fase, entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, será instruído o dossiê com o pedido à UNESCO de inscrição na Lista do património cultural imaterial com necessidade de salvaguarda urgente do Fabrico do Cobertor de Papa e do património associado, dando particular enfâse ao património genético e aos domínios associados à pastorícia, relevando também a promoção económica. Este dossiê será constituído por formulário, fotografias e filme. Todo o processo será suportado por propostas de salvaguarda no âmbito do património cultural imaterial e da promoção económica.

Sobre o antropólogo, Paulo Lima

Ao longo dos últimos anos, trabalhou junto das candidaturas do fado, cante alentejano, arte chocalheira e morna (Cabo Verde) a Património Imaterial da Humanidade. O antropólogo, natural de Sines, é, acima de tudo, um homem de vários ofícios, sempre preocupado com o estado da cultura em Portugal. Entre outras coisas, Paulo Lima foi coordenador do Programa Identidades, focado na salvaguarda do Património Imaterial do Alentejo, da Direção Regional de Cultura do Alentejo e da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo. Tem ainda diversos livros publicados, artigos e monografias, em Portugal e no estrangeiro. Foi distinguido como Herói Gerador de 2018, categoria através da qual o Gerador destaca figuras relevantes para a cultura portuguesa.

Imagem: Guarda avança com projeto de Salvaguarda do Património Imaterial