Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

A Romanização entre Tejo e Douro dá mote a exposição no Museu da Guarda

23/02/2015
leitura do texto

Entre 24 de fevereiro e 18 de março, o Museu da Guarda terá patente a exposição “Aspetos da Romanização das Terras Beirãs de entre Tejo e Douro”, uma iniciativa que pretende celebrar e dar a conhecer a importância e o significado do legado romano na região das Beiras.

A exposição é inaugurada amanhã, dia 24 de fevereiro, pelas 18h00, e contará com a presença da Diretora Regional da Cultura do Centro, Celeste Amaro, do Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro e do Presidente da Câmara Municipal da Celorico da Beira, José Monteiro.

Os Municípios da Guarda e de Celorico da Beira decidiram dinamizar uma exposição que se debruçasse especialmente sobre a Romanização dos territórios em torno da Serra da Estrela, nas suas diversas vertentes, com uma incidência particular nas relações sociais, económicas e culturais com as restantes áreas do território peninsular.

Esta exposição contém dois núcleos principais, um núcleo genérico, de contextualização da Romanização na nossa região, delimitada pelos rios Douro e Tejo, e um núcleo mais monográfico, em que se apresentam 25 painéis sobre outros tantos sítios arqueológicos.

Pretende-se ainda divulgar o resultado das investigações mais recentes sobre a Romanização na região das Beiras e sobre o seu lugar no âmbito mais geral da Romanização da Hispânia. Com efeito, uma grande exposição de escala regional, com materiais arqueológicos de toda a Beira Interior, muitos deles inéditos e nunca antes apresentados em conjunto, pode contribuir para um melhor conhecimento das terras circundantes da Serra da Estrela na Antiguidade Clássica. A exposição tem ainda como objetivo fazer reconhecer o legado romano da nossa região, e em particular o dos territórios em torno da Serra da Estrela, como componente essencial do nosso património cultural e, consequentemente, sensibilizar as entidades envolvidas para a necessidade de o proteger e valorizar.

Durante o período em que a exposição está patente, o Museu tem previstas a realização de diversas atividades pedagógicas: visitas guiadas e sobretudo a organização de oficinas pedagógicas para os diferentes graus de ensino das escolas dos Distritos da Guarda e de Castelo Branco.

Esta exposição é uma organização da Câmara Municipal da Guarda e da Câmara Municipal de Celorico da Beira, em parceria com o Museu da Guarda, e com o apoio do Centro de Estudos Ibéricos, da Associação de Desenvolvimento Estudo e Defesa do Património da Beira Interior e da Agência para a Promoção da Guarda.

A exposição pode ser visitada de terça a domingo das 10h00 às 18h00.

Imagem: A Romanização entre Tejo e Douro dá mote a exposição no Museu da Guarda