Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

Randstad vai criar 180 postos de trabalho na Guarda

12/05/2015
leitura do texto

O protocolo de colaboração com a multinacional RANDSTAD foi celebrado ontem, 11 de maio, na Sala António Almeida Santos.

Até finais de julho começará a funcionar no pavilhão do Parque Municipal da Guarda o 'contact center' da empresa Randstad que contará inicialmente com cerca de 40 trabalhadores e que em ano e meio deverá criar cerca de 180 postos de trabalho na cidade mais alta.

«Estamos a falar de um contrato de cinco anos, esperando eu, renovável», referiu o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, informando ainda que a referida empresa pagará uma renda mensal ao município no valor de 670 euros. O autarca adiantou também que o 'contact center' envolverá a empresa francesa Altice daí que considere tratar-se de «um projeto de muito grande seriedade, de grandes perspetivas em termos de futuro».

De acordo com o protocolo celebrado, na Sala António de Almeida Santos, no edifício dos Paços do Concelho, a autarquia da Guarda terá que executar obras no edifício que vai acolher o projeto, no valor de cerca de 170 mil euros. No entanto, Álvaro Amaro adiantou que caso a empresa abandone o projeto antes do prazo estipulado terá de indemnizar a Câmara pelo «valor do investimento que ainda não foi utilizado pela amortização».

O diretor-geral da multinacional Randstad Portugal, José Miguel Leonardo, referiu que um dos fatores que levou à instalação do 'contact center' na Guarda foi a disponibilidade de mão-de-obra para o desenvolvimento do projeto. «Sendo um projeto que está alicerçado nos serviços a prestar para França, o domínio da língua francesa é absolutamente fundamental. Não é, no entanto, a única habilidade que se requer destes operadores de 'contact center», referiu.

Imagem: Randstad vai criar 180 postos de trabalho na Guarda