Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

Património como recurso de desenvolvimento no Congresso Ibérico de Museus

19/02/2016
leitura do texto

Na sexta, dia 19, decorreu no Museu da Guarda uma reunião com Museus de Portugal e Espanha que integram a rede ibérica 'Mouseion'. Perto de três dezenas de participantes entre museólogos, profissionais de museologia e diretores estiveram na cidade mais alta para preparar o próximo congresso bienal de museus ibéricos. Neste encontro ficou decidida a localização dessa bienal: será em Placência (Espanha) no próximo mês de novembro; e a temática: a iniciativa terá como tema principal o desenvolvimento local e o património como recurso desse desenvolvimento. O objetivo é questionar as dinâmicas culturais de ambos os lados da fronteira, incentivando o debate e a participação das forças vivas das regiões como Universidades, Instituições de Ensino Superior, Associações de Desenvolvimento, entre outras.

Para o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Guarda, Victor Amaral, esta reunião da Plataforma Transfronteiriça de Museus «é já o resultado do trabalho que estamos a fazer para reposicionar o Museu da Guarda como estrutura cultural vital para a cidade e região, que queremos dignificar, através da cooperação operacional, neste caso, com a rede de museus portugueses e espanhóis que integram a 'Mouseion'». Na sessão de abertura, o autarca sublinhou ainda «a oportunidade e a importância de o museu, a partir da integração nesta rede, estar alinhado com os caminhos de reflexão e ação da museologia dos dois países, no quadro da necessária melhoria do seu discurso museológico, da sua relação global com a comunidade, já a pensar no futuro 'Quarteirão das Artes'».

Já para Ana Carro Rossell, presidente da Associação Espanhola de Museus estes encontros da rede 'Mouseion' são vitais para a vivência dos Museus. «O mais importante destes encontros é poder continuar a desenvolver projetos comuns que possibilitam o contacto dos profissionais dos museus de ambos os lados da fronteira. O que vai de encontro ao tema do próximo congresso uma vez que a temática abordará precisamente a participação dos cidadãos e do tema do desenvolvimento local do que é a sociedade civil e de como os museus e o património podem servir como recurso para esse desenvolvimento.», referiu a dirigente espanhola.

Também o diretor do Museu da Guarda, João Mendes Rosa, reforçou a importância da participação da instituição guardense no 'Mouseion', plataforma transfronteiriça de museus ibéricos, que a Guarda integra desde o início deste ano. «Começaram a ser tomadas decisões que vêm fortalecer a própria rede, nomeadamente a criação de estruturas locais que vão ajudar a enriquecer o próprio 'Mouseion'. Por exemplo, para além do Museu, as instituições da cidade podem agora cooperar a nível internacional num plano ibérico de iniciativas culturais como colóquios ou exposições. Por exemplo, se tivermos uma exposição em Mérida há já quase um compromisso de tornarmos essa atividade conectável com as atividades da própria cidade da Guarda», explicou o diretor do Museu.

Recorde-se que a plataforma 'Mouseion' foi fundada em 2002 e integra instituições museológicas como o Museu Nacional de Arte Romano de Mérida, Museu Provincial de Cáceres, Museu de Badajoz, Museu Vostell (Malpartida), Museu de Portalegre, Museu dos Lanifícios da Universidade da Beira Interior e Tavares Proença de Castelo Branco, entre outras.

Imagem: Património como recurso de desenvolvimento no Congresso Ibérico de Museus