Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

Conferências da Guarda - Guarda, uma Plataforma Ferroviária

12/12/2016
leitura do texto

​No passado dia 5 de dezembro teve lugar, nos Paços do Concelho, mais uma edição das Conferências da Guarda tendo como tema central de debate “Guarda, uma Plataforma Ferroviária”.

Na sessão de abertura, o Presidente do Município, Álvaro Amaro, manifestou a intenção de que as Conferências da Guarda se projetem para além do distrito ou da Comunidade Intermunicipal, como forma da Guarda dizer ao país e à Europa que temos opinião, que temos pensamento estratégico sobre os projetos.

Quanto ao tema “Guarda, uma Plataforma Ferroviária”, o Presidente da Autarquia classifica-o como o projeto estruturante mais importante para a Guarda nas próximas décadas.

Álvaro Amaro defende que a Guarda deve reclamar o que deve ser dela de justo direito, ou seja, a Guarda tornar-se uma importante plataforma nacional ferroviária, considerando este projeto compatível com a conclusão do investimento na Linha da Beira Baixa, daqui a um ano e meio, e a modernização da Linha da Beira Alta, no máximo até 2022.

A confluência das duas linhas, destes dois corredores, faz da Guarda um ponto estratégico para este projeto. Álvaro Amaro considera que “seria um desastre para a Guarda se isso não acontecesse” até ao limite de 2022.

Essa é também a opinião de um dos conferencistas, o investigador da Universidade do Algarve, Manuel Tão, que apresentou o tema “Ferrovia na Guarda – uma abordagem prospetiva”. Vê a Guarda como uma importante Plataforma Ferroviária Nacional, tendo em conta o cruzamento de tantas linhas de transporte, e que esta deve ser um futuro entroncamento essencial para a passagem de pessoas e mercadorias.

Manuel Tão defende que a “ferrovia permite reinventar o território, sendo benéfica na medida em que se ganha o desafio do descongestionamento devido à dependência das rodovias”.

Por sua vez, António Martins, Sales Manager/Medway, que trouxe às conferências “A Visão do Operador na Estratégia Ferroviária”, comunga da opinião de que a Guarda poderá vir a ser uma Plataforma Ferroviária estratégica no que respeita à distribuição de mercadorias vindas desde França ou Espanha. Recebendo as cargas, transportadas em comboios de maiores dimensões e mais pesados, para serem divididas para sul e para norte, pelas redes rodoviárias.

Sendo fundamental para a Guarda, como porta da Europa, estar preparada e ter condições para ser uma plataforma alternativa ao transporte rodoviário, a mais baixo custo e sem constrangimentos de acessos para os operadores.

A partilha de ideias e o consenso à volta do tema central da edição de Inverno das conferências “Guarda, uma Plataforma Ferroviária”, que contou na sessão de encerramento com a presença do Presidente da República, Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, de visita à Guarda no âmbito da iniciativa “Portugal Próximo”, foi certamente uma forte achega para a concretização deste importante projeto estruturante para a Guarda.

Imagem: Conferências da Guarda  -  Guarda, uma Plataforma Ferroviária