Município da Guarda

Imagem: Informação da versão beta

Município da Guarda

BMEL assinala 150 anos do nascimento do poeta Camilo Pessanha

02/11/2017
leitura do texto

​Considerado um dos maiores representantes do simbolismo em Portugal, Camilo Pessanha (1867-1926) vai ser o destaque do mês de novembro na BMEL. Nesse contexto e com o intuito de dar a conhecer a vida e a obra do autor, a biblioteca programou duas exposições, uma conferência, um documentário e uma performance.

A evocação ao poeta começa logo a 3 de novembro com a exposição 'Camilo Pessanha - um poeta ao longe'. Uma mostra organizada em oito núcleos temáticos, que ilustra e documenta diferentes vertentes da vida e obra do Camilo Pessanha, abordando temáticas como a família, juventude, início da vida profissional, destacando a presença em Macau, onde foi professor, jurista, cidadão e a sua ligação à arte e à cultura chinesa.

'Pessanha ou a poesia como vestígio' é o tema que Gustavo Rubim vai desenvolver numa conferência, no dia 14 às 18h00.

A partir de alguns poemas de 'Clepsydra', única e problemática edição de poesia de Camilo Pessanha, Gustavo Rubin explicará que a fragilidade do livro decorre de uma meditação consistente sobre a fragilidade de todas as marcas e que 'o poema é, pois, vestígio - não é símbolo'.

Professor de literatura na Universidade Nova de Lisboa, Gustavo Rubim publicou três livros de ensaios, o primeiro dos quais intitulado 'Experiência da Alucinação: Camilo Pessanha e a Questão da Poesia'.

Organizou também um ensaio de edição da 'Clepsydra' que saiu em 2000 como separata da revista 'Colóquio-Letras'.

Salientamos ainda a performance 'Oráculo' por Gil Mac, dia 17 (17h00/19h00 e 21h00/ 23h00) e dia 18 (14h15/18H00).

Trata-se de uma performance intimista para que assista uma ou duas pessoas de cada vez. Uma experiência irrepetível inspirada no tarot. O destino transportado pelo baralho da vida de Camilo Pessanha e a sua 'Clepsydra', obra seminal do simbolismo português...

Gil Mac nasceu em Coimbra, para além de encenador, intérprete e músico, é também designer. Tem realizado o grafismo de eventos de música eletrónica (Cosa Nostra) e teatro. É igualmente colaborador em projetos de intervenção urbana, media e cultura pop. Foi membro de projetos de música experimental e eletrónica desde o início dos anos 90 e é vocalista dos Lucifer´s Ensemble.

Já no dia 21 às 18h00, a BMEL exibe o documentário 'Camilo Pessanha, um poeta ao longe' de Francisco Manso. Uma incursão pela vida e obra de Camilo Pessanha. As imagens dos lugares por onde passou, os depoimentos de especialistas, a voz do poeta evocada através da leitura de poemas e fragmentos de cartas dirigidas a amigos, em particular, a Ana de Castro Osório.

Por fim, este ciclo dedicado a Pessanha encerra com a exposição de fotografia 'O imaginário de Camilo Pessanha: foto ficções' de Victor Belém, acessível ao público a partir de 28 de novembro.

Trata-se de um conjunto de 24 foto-ficções da autoria do artista plástico Victor Belém [1938 - 2015] sobre o imaginário da vida e obra do poeta, cedidas pelo Museu do Oriente.

Um trabalho que ilustra as várias fases da vida de Camilo Pessanha desde a juventude: a partida para Macau, o seu amor por Ana de Castro Osório e o tema do ópio e da morte.

Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian (entre 1961 e 1963), sob orientação do pintor Júlio Pomar, Victor Belém destacou-se pela sua modernidade e irreverência, primeiro como artista plástico e mais tarde com trabalhos de fotografia ficcionada.

Quanto à restante programação da BMEL é de referir a oficina de 'Pintura oriental aplicada à ilustração', que a designer de comunicação Luna Kirsche, detentora de vários prémios por trabalhos de ilustração que têm como base a pintura chinesa, vai orientar no dia 11, entre as 10h00 e as 18h00.

Tendo em consideração que as pinturas Chinesa e Japonesa (Sumi-e) andam de mãos dadas com a caligrafia dos respetivos países, Luna Kirsche (Maria Barbosa) abordará nesta ação a caligrafia chinesa e a pintura chinesa, japonesa e coreana, aplicadas à ilustração.

Dia 18 às 16h00, José Manuel Mota da Romana apresentará o livro 'Os confins do Éden' de Carlos Carvalheira.

Carlos Carvalheira é natural do distrito da Guarda. É licenciado em Direito, possui uma Pós graduação em Direito Europeu e um Diploma Superior de Estudos Franceses (Nancy). Para além da presente obra, Carlos Carvalheira é também autor de 'O Menino-Rei', 'Contos do Vale da Promissão' e 'O Messias'.

Por último, no dia 23 pelas 18h00, decorre mais um encontro com um autor. Desta vez, será um 'Encontro com... Jesué Pinharanda Gomes'. Jesué Pinharanda Gomes nasceu em Quadrazais, concelho de Sabugal, distrito da Guarda, a 16 de Julho de 1939. Estudou na Guarda, na escola dos Gaiatos e no Colégio de S. José.

Pinharanda Gomes é ensaísta, pensador, escritor, filósofo, historiador e investigador. É um autodidata por opção, e autor de valiosos trabalhos sobre Filosofia, Teologia, Pensamento Português, Etnografia, Filosofia Hebraico-Portuguesa e História.

Já fora de portas, a Biblioteca Municipal promove no Jarmelo - São Pedro, dia 25 às 16h00, 'Vozes Vivas - encontros de poetas e escritores da Guarda'. Poetas e escritores da Guarda realizam uma sessão de leitura pública das suas obras, dando a conhecer o seu trabalho literário. Encontro de criadores da área da literatura que nasceram ou vivem no concelho. Intercâmbio entre consagrados e menos conhecidos, num ambiente de estimulante colaboração.

Imagem: BMEL assinala 150 anos do nascimento do poeta Camilo Pessanha